O caminho do fim

27 de janeiro de 2011 § Deixe um comentário

O fim tem o início geralmente trágico, cheio de espinhos, lágrimas machucados por toda parte. Se desenha claramente, em detalhes, como um quadro pintado por um artista, perfeitamente, com todos os detalhes à mostra e tão significativos que o fazem diferente, o fazem mais forte.

O meio do fim, pode acontecer de várias formas: podemos sofrer um pouco mais, ser nostálgicos; podemos esquecer, dizer “dane-se” e nunca mais sofrer; podemos dizer “dane-se” e voltar atrás dois minutos depois; ou não podemos dizer nada, nem sofrer, nem mesmo cair a ficha sobre o meio do fim.

O fim do fim, é ao mesmo tempo o mais necessário, o mais profundo e o mais doloroso. É quando já sofremos tudo e vimos que o tudo que sofremos não foi suficiente; É quando chegamos à conclusão do fim pela diferença, pelo caráter alheio das atitudes, das palavras, dos olhares, é quando nos damos cara a cara com a ausência.

O fim do fim é o adeus, cheio de demagogias, de promessas que nunca serão cumpridas, de falsos interesses, de apegos interesseiros, de restos de posse que fedem tanto quanto restos de comida que há dias apodrecem.

Entretanto, quando o fim do fim aparece, nos vemos nos livrando das barreiras, olhando pra frente, vendo coisas que há dias atrás não víamos ou que nunca vimos antes.

O fim do fim é caracterizado pelo momento onde se olha para trás e consegue enumerar seus aprendizados e tem, finalmente, o saldo final:

Aí sim, o fim acabou.

Atenciosamente,
Ítalo Chesley

Anúncios

A (in)satisfação

21 de janeiro de 2011 § Deixe um comentário

Dois homens conversando no ponto de ônibus.

No início falavam sobre uma morena bem afeiçoada que chegara por ali. Os homens, já senhores, enauteciam os atributos corporais da morena como quem poderia alcançá-los sempre que quisessem.

Depois, chegou um vendedor de tomates, limões e o que quem estivesse por ali quisesse comprar, e os dois senhores o ficaram observando. Faziam comentários sobre tudo, e entre e um e outro comentário, aparecia algum assunto sobre o governo atual, os erros: todos sendo tratados com afinco e discussões muito acaloradas, como se estivessem em um tribunal, cada um tentando provar a sua verdade.

Entraram no ônibus, ambos com passagens especiais para idosos, sentaram-se e continuaram a discussão. Por fim, um deles começou a falar dos passageiros que atrapalhavam aos outros a chegar à porta e outro:

– Você não está insatisfeito.
-Mas esses idiotas ficam no caminho.
-Você não está insatisfeito.
Ou outro tentou ser mais expressivo.
– O monopólio dessa empresa de ônibus é culpa da prefeitura!
-Você não está insatisfeito
O outro bateu o pé no chão do ônibus, com força: Esse trocador está até pálido, deve ser o calor ao qual ele é submetido enquanto trabalha.

Depois de esbravejar e falar mal de Deus e o mundo, o senhor, já ofegante perguntou ao outro porque ele tanto repetia: “Você não está insatisfeito”.

O outro, como a economizar palavras disse: Se você estivesse realmente insatisfeito não andaria mais de ônibus. As insatisfações verdadeiras trazem consigo atitudes para modificá-las e você anda nesse ônibus há mais de 20 anos. Você não está insatisfeito.

O outro, se tinha argumentos, não gastou. Acredito muito que não tivesse.

Os dois seguiram calados até o ponto em que eu desci.

Enfim, qual é a nossa insatisfação? E o que temos feito?

Obrigado por ler.

Atenciosamente,

Ítalo Chesley

Lembretes sobre o Natal

25 de dezembro de 2010 § Deixe um comentário

Senhores, boa madrugada.

Conservo o péssimo hábito de, ao invés de dormir, soltar meus rabiscos madrugada a fora. Nada melhor(ou pior) que em plena madrugada de  Natal fazê-lo aqui, no blog: Já que descobri que vocês são pacientes o suficiente para passar aqui e ouvir as sandices que eu tenho dito nos últimos três anos.

Todos sabem que o natal é a época em que o comércio, os burgueses e a indústria do consumo e da paz de plástico aproveita tudo e enche os bolsos de dinheiro e eles estão certos, se estivessemos lá, faríamos o mesmo.Entretanto, nós, que ao invés de ganhar dinheiro, estamos dando o nosso para enriquerer a outrem, ao menos utilizemos esta data para lembrar do que realmente inspira esta data, da preciosidade de valorizar a quem anda ao seu lado, de perdoar a seus semelhantes e tratá-lo como um ser humano, apesar das diferenças que ele tem de você.

Vamos aproveitar essa data para prometer que no próximo ano vamos parar de pensar que as pessoas só comem no natal, que alguém pobre pode estar precisando de algo que não vai fazer a menor diferença pra você e que é inútil ser falso com os outros.

Vamos amar as pessoas, ser sinceros com elas e respeitá-las, provando  pra nós mesmos que somos melhores e precisamos melhorar continuamente.

Feliz natal pra todo mundo…

Atenciosamente,

Ítalo Chesley

Onze conselhos a venda para 2011

23 de dezembro de 2010 § 2 Comentários

Seja político, mas não seja falso;
Gaste tempo com coisas aproveitáveis;
Torne a inutilidade em algo útil, aprenda com tudo;
Preocupe-se com a dieta, mas não fique neurótico;
Seja individualista na medida certa;
Preocupe-se com os outros na medida certa;
Respeite seus pais;
Valorize os amigos que já passaram por perrengues com você;
Não seja preconceituoso, mas seja cauteloso;
Não se individe, mas se individar, escolha juros menores;
Não faça parcelamentos muito longos, isso é inconsequente;
Erre, assuma seus erros e se preocupe com algo maior do que ser feliz;

Abraços…
Ítalo Chesley

Conselhos a venda para 2010

20 de dezembro de 2009 § 2 Comentários

Notificação: Nossa loja de conselhos conta com outras opções, essas são apenas as principais. Aproveite nossas ofertas!

1. Não torne seus fracassos em vitórias só porque a moléstia de alguém foi maior que a sua;
2. Não queira aprender apenas o que seu professor tem pra ensinar;
3. Leia quantos livros puder;
4. Se ama alguém, faça com que ele(a) saiba;
5. Não vá a micaretas;
6. Não assista novelas;
7. Coma verduras, legumes e bastante picanha;
8. Ouça mais, fale menos;
9. Faça mais, fale menos;
10.Fale menos;

Atenciosamente,

Ítalo Chesley Gomes da Silva

Onde estou?

Você está navegando atualmente a úteis categoria em Ítalo Chesley.