Dia da consciência negra

20 de novembro de 2009 § Deixe um comentário

Olá, fiéis leitores.
Tudo bem com vocês?

Daqui a meia hora será dia 20 de novembro, dia em que nos lembramos da Consciência Negra neste país.
É nesse dia que se traz às memória quantas vezes nós apoiamos e rimos de piadas sem graça em relação aos negros e, simplesmente, aceitamos chamá-los de “neguim” ou algum apelido similar de forma pejorativa, eu disse, de forma pejorativa;
É nesse dia, que paramos para pensar que, pela primeira vez a protagonista do tão glamuroso horário nobre da globo, é uma afro descendente;
É nesse dia, que nós apoiamos, tampando o sol da má qualidade da educação deste país com a peneira, as quotas para negros, alunos de escolas públicas, etc e tal;
É nesse dia, que damos a nossa própria cara a tapa, achando que o sofrimento de escravos negros não faz parte da História desse país e que toda essa palhaçada de que negro é inferior, já foi válido por aqui;
É nesse dia que a gente tem que começar a não aceitar a teoria de algumas autoridades policiais, dizendo que afrodescendentes são marginais em potencial, quando em muitas vezes, eles só queriam terminar de chegar em casa em paz, depois de um dia exaustivo de trabalho;

Viva à Consciência Negra, para incutir em nossas mentes e corações diariamente as verdades sobre a igualdade de todos os seres humanos, afinal de contas, todos queremos ser pagos pelos serviços que prestamos, ser perdoados pelos pecados que cometemos, colhermos da boa semente que plantamos. Todos queremos ter oportunidades iguais, como animais racionais que somos e, por fim, todos queremos ser tratados e vistos perante a sociedade como seres humanos dignos de respeito e estima.

Não deixem, principalmente, que o conceito de igualdade sobre as vossas vidas sejam desconsiderados.E saibam: a vossa existência, também é como você trata a existência do seu semelhante.

Obrigado por ler a postagem,

Atenciosamente

Ítalo Chesley

Anúncios

Onde estou?

Você está navegando atualmente a consciência negra categoria em Ítalo Chesley.